Uma análise detalhada sobre o retorno de investimento em digitalização a laser

October 9, 2017

Gerente de produtos sênior da Faro e especialista em digitalização a laser, Oliver Buerkler fala sobre a proposta de valor na área

Como declaração de abertura, Buerkler sugere o seguinte: “Não devemos nos ater à digitalização a laser, e sim ao fluxo de trabalho completo possibilitado pelos dados. Quando pensamos em todo o processo, somos mais capazes de dar apoio aos clientes”.

Como obter uma topografia

Vários fatores devem ser considerados ao especificar a entrega dos dados da nuvem de pontos: as exigências do projeto, os aspectos técnicos e, por fim, os resultados. No Reino Unido (e em outros lugares), um bom ponto de partida é o documento de orientação da RICS, “Measured Surveys of Land, Buildings and Utilities, 3rd edition” (Topologias medidas de terrenos, edifícios e serviços públicos, 3ª edição).

Cabe ao topógrafo escolher como obter os dados, seja por estações fixas de topografia, drones, veículos lineares, voos tripulados ou dispositivos portáteis. Os métodos variam conforme a situação e o ambiente físico.

Diante dessas especificações, quem provavelmente será o maior beneficiado da digitalização a laser?

O topógrafo

Uma vantagem de curto prazo é a rapidez: os desenvolvimentos em hardware e software dos últimos anos reduziram bastante o tempo necessário para fazer digitalizações. A escala de cobertura atual ultrapassa (e muito) os métodos tradicionais. Dessa forma, topógrafos que já trabalham com digitalização conseguem otimizar ainda mais o tempo, reduzindo os riscos de saúde e segurança (trabalho até altas horas e tempo reduzido) e eventuais retornos ao local.

Sobre os resultados, Buerkler afirma que “o tempo médio gasto para produzir os resultados dos dados de digitalização é quase dez vezes maior que o tempo da primeira coleta de dados”. No entanto, ferramentas como as da família de aplicativos Faro PointSense e algoritmos de reconhecimento de objetos agilizam muito o processo de extração e conversão dos dados da nuvem de pontos em resultados finais.

Os softwares também mostram as partes em que os modelos estão fora de tolerância com as especificações, o que destaca um dos aspectos mais importantes da conversão para “outros” resultados: os dados da digitalização são SEMPRE mais precisos e completos do que um modelo aproximado.

Em suma, podemos comparar essas e outras vantagens obtidas aqui com os métodos tradicionais.

Os designers

A equipe de design terá uma imagem muito mais completa em mãos. Na maioria dos casos, os dados podem ser analisados pela Web usando o Faro Scene WebShare ou recursos semelhantes. Com visualização intuitiva e panorâmica no navegador, será possível fazer medidas e ter uma visão dos “bastidores”. Esses “dados acidentais” dos ativos topografados são recolhidos como parte do processo de digitalização e oferecem o contexto do local.

Dependendo dos resultados necessários, as informações podem ser disponibilizadas com muito mais antecedência do que nos métodos tradicionais, permitindo que as equipes trabalhem mais rapidamente.

Trata-se de um grande salto em termos de velocidade e acesso às informações, mas é importante ressaltar a quantidade de dados que estão à disposição da equipe de design. Não estamos apenas equiparando um resultado 2D com uma nuvem de pontos 3D. Os dados da digitalização são captados apenas uma vez, podem ser usados de várias formas e estão muito mais completos.

Além disso, os avanços de tecnologia permitem publicar em ambientes imersivos usando recursos de realidade virtual ou aumentada. Tudo isso é decorrente dos dados originais gravados, a próxima etapa do “fluxo de trabalho completo” que Buerkler menciona no início.

O empreiteiro

Hoje em dia, as licitações de documentos de design são mais precisas em modelos, desenhos, especificações, relatórios e topografias de nuvens de pontos. Isso faz do empreiteiro o terceiro maior beneficiado no fluxo de trabalho de dados da digitalização.

Mesmo sendo usuário licenciado da topografia, sem pagar por ela, o retorno sobre o investimento é de 100%! O empreiteiro principal notará a redução dos riscos com uma imagem completa e conseguirá verificar se há riscos no local antes da mobilização. Isso trará mais segurança e uma ferramenta melhor de comunicação, aumentando a transparência e a confiança.

É possível comparar o andamento da construção com os novos dados de digitalização, ou o rigor da construção com os modelos de design. Como forma de reduzir o desperdício do retrabalho, não há nada igual.

Buerkler cita um estudo de caso em que um subempreiteiro de concreto foi chamado para trabalhar em um “aplainamento” bastante limitado: “Assim que o concreto é despejado, temos uma margem de duas a três horas até a secagem; depois disso, não é mais possível trabalhar nele.

Ao usar o plug-in Builder Rithm para os softwares Faro Scene, o subempreiteiro pode fazer a digitalização a laser e analisar o nivelamento do concreto quase de imediato para atender às especificações do cliente”.

A medição tradicional do nivelamento consiste em esperar até o concreto estar seco o bastante para pisar. Depois que isso acontecer, já será tarde demais para trabalhar na superfície; será preciso quebrar o bloco e despejar o concreto outra vez.

“Uma vantagem de curto prazo é a rapidez: os desenvolvimentos em hardware e software dos últimos anos reduziram bastante o tempo necessário para fazer digitalizações. A escala de cobertura atual ultrapassa (e muito) os métodos tradicionais.”

Este é um exemplo claro de como as técnicas modernas de medição podem economizar tempo e dinheiro e aumentar a qualidade.

O proprietário / operador / gerente de instalações

Neste ponto, fechamos o ciclo: depois de investir em uma topografia com resultados modernos, o cliente aproveita as vantagens nas fases de design e construção, e a equipe passa a ser mais precisa, coordenada e consciente.

O ativo criado e enviado para a operação é conferido com a documentação de design, e há um registro as-built “real”, o que é mais útil e revolucionário do que parece! Na operação de ativos, o software Faro Scene WebShare Cloud pode ser usado como uma forma mais intuitiva de acessar informações. Os marcadores que exibem informações podem ser adicionados à nuvem de pontos e aos hyperlinks de documentos incluídos. Assim, os usuários navegam e acessam documentos com facilidade e naturalidade.

Depois da entrega é possível digitalizar as áreas digitalizadas novamente e atualizar o registro as-built, permitindo que os gerentes tomem decisões bem-informadas conforme os dados mais recentes, modernizando a operação de ativos/construção.

Em suma, muitas partes interessadas podem aproveitar o fluxo de trabalho de digitalização a laser. Segundo Buerkler, “os métodos tradicionais incluem muitas medições de topografia desnecessárias e repetidas”. O uso dos dados de digitalização pode reduzir isso.

“O processo pode eliminar muitos desperdícios”, acrescenta. E esse é só o começo.

 

Material anterior
Conservando um lugar emblemático - o Castelo de Fonthill
Conservando um lugar emblemático - o Castelo de Fonthill

Leia como o Actus3D, baseado em Nova York, usa o scanner a laser FARO® Focus e o software FARO SCENE para d...

Artigo seguinte
Restauração do farol histórico de Londres
Restauração do farol histórico de Londres

Londres tem vários edifícios e estruturas mundialmente famosas: o Big Ben, a Catedral de São Paulo, a Abadi...

×

Prove o FARO SCENE hoje mesmo!

Nome
Sobrenome
Empresa
País
Cidade
CEP
Objetivo Principal
GLOBAL_Opt-In
Acesse seu teste GRÁTIS de 30 dias
Error - something went wrong!